Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bienvenue Blog

Maresia de inspirações, disparates, aventuras, desabafos, misturas. Aquarelo por aí também. Mantendo a alma livre o mais que posso.

ψ( ` ∇ ´ )ψ [pessoa que não sabe o que dizer]

por Laura SaintCroix, em 20.09.18

Bonjour!!

Há quanto tempo **sorriso amarelo** de novo...

Mas ainda não desisti do blog, não tenho outro lugar pra esvaziar a cabeça que não aqui, quando não posso redigir um conto.

 

Graças a Deus há muito acontecendo e eu estou muito feliz, mesmo, só que hoje amanheci meio ruim porque não dormi bem. Estou meio que 60% só.

 

Eu tenho pintado aquarelas a todo vapor e tenho ficado muito feliz com elas, não sei nem se essa é a palavra.

Tenho que fazer uma surpresa a uma sobrinha/prima, e quero que fique fofo para ela, algo em biscuit.

Tenho que elaborar uma ilustração legal de uma cena que passe emoção e algumas lágrimas discretas, e sabe, EU NÃO TENHO IDEIA DO QUE FAZER, ainda.

Quero comprar um console e um jogo.

Quero (re)aprender a tricotar, coisa que eu fazia quando pequena.

Quero aprender a fazer crochê e bordado. Eu amo costura.

 

Eu amei o filme de Bleach que a Warner Japan fez. Uma amiga linda me emprestou a conta dela e eu pude assistir, haha.

Preciso continuar fazendo alguns contos, tenho um teatro para fazer também, e preciso fazer um coração 10/10 pra isso (vai ficar incrível!).

 

Esse post é caótico e quase uma lista de afazeres que eu sentei para perder um pouco de tempo organizando minha mente.

Eu sou um pouquinho ansiosa. ^^"""

 

Estou esperando uma resposta também, para iniciar outra aquarela. Esse final de ano vai ser todo, todo. Me faz lembrar que o que eu desejei no ano passado acabou se realizando. Eu queria trabalhar com encomendas e aquarelas, e olhem só. Não é como se eu estivesse vivendo sozinha disso, mas ver as pessoas felizes com os resultados que eu entrego é renovador, acho que era disso que eu estava atrás, não sei dizer.

Se eu vim para a Terra para pintar, acho que é para fazer isso pelas pessoas de algum modo também.

Isso pode soar um pouco egoísta, mas meu cérebro hoje só está filosofando até aqui.

 

Ganhei um colar da Akatsuki da minha sobrinha, eu amei!

Ganhei perfumes de mamãe também, Natura Una Senses, que eu amei demais. Amadeirado, adocicado, único como o nome. Eu gosto de perfumes assim.

 

Recentemente estou apaixonada nas músicas de Bleach, cantadas pelos personagens, principalmente do Byakuya, hahaha. Eu não mudei nada desde o último post sobre ele, em 2012. (procurem pela tag) Os dubladores são realmente incríveis cantando também.

 

Bom, estou esperando o lançamento do projeto novo do vocalista do Matenrou Opera, Sono. Eu não lembro o nome da música, é algo com chuva e arco-íris e Tóquio. Eu acho.

 

Tenho ganhado muitas coisas boas no meu joguinho mobile, Final Fantasy Record Keeper. Cloud husbando está upado.

 

Ahhhhh, estou eufórica/feliz/atrapalhada e ao mesmo tempo precisando dormir e sem saber realmente o que fazer, por estar esperando respostas. É um meio termo entre iniciar algo e ter que parar quando a resposta chegar, e não conseguir descansar porque tenho muito a fazer.

 

Então vim escrever no blog pra dizer que estou bem.

 

IMPRIMI CARTÕES também, ficaram tão lindos!!!!!!

O excesso de ! foi o quanto que eu adorei.

 

Tenho um site lindo agora também. Aqui.

Ter um portfólio organizado dá um gosto.

E tenho uma página também!

A Q U I.

 

Acho que divulguei, falei, desabafei, informei. Agradeço aos meus amigos que me apoiam no âmbito artístico também, eu não poderia prosseguir muito longe sem essa "união faz a força".

Sabiam que o KAMIJO reconheceu aquelas ilustrações que nós fizemos? Um grupo de ilustradores (eu junto, haha) fizemos ilustrações das histórias dele, e ele postou isso e agradeceu o artbook. Ficamos sem nos aguentar de felicidade. Eu nem sei se já disse isso aqui. lol

Depois foi entregue outro artbook, mas a minha amiga que o fez não nos deu muita notícias sobre, ou eu perdi em algum canto a informação. De toda forma, eu espero que ele tenha reconhecido o que eu fiz, haha. Nesse eu realmente fiz muitas mais que no outro artbook. Foi um treinamento e um contentamento.

 

Ainda tenho que fazer resenha de um livro que ganhei do meu amigo, sorte eu ter anotado as impressões.

 

Ano que vem vou me focar em aprender Japonês. Talvez daqui a dois anos eu vá para o Japão. Será que consigo aprender até lá? :P

 

Post que vem, talvez eu faça uma playlist de Agharrin só com músicas japonesas.

 

Cara da postagem:

submerso.jpg

Uma das últimas aquarelas, com decoupage. Quase coloquei lã também, haha. Minha mãe voltou a tricotar e tem tanta cor aqui em casa! hahaha

Amo minha véia.

 

Devo ter esquecido de algo, mas não tem importância ter esquecido de pôr. Aqui fora eu tenho muitas listas do que fazer.

 

Quero comprar aquarelas internacionais, mas mais para frente.

 

Keep on burning soul!


Dawn of a new day

por Laura SaintCroix, em 04.01.18

Tenho noventa e nove por cento de certeza que já usei essa frase nalgum título, mas e daí, haha.

Bonjour.

O ano passou e outro se iniciou e só agora parei de comer coisas de fim de ano e estou voltando minha circulação sanguínia ao normal.

 

Não estou me sentindo nostálgica o bastante para filosofar, acho que exagerei brincando em algo com um amigo e me sinto meio "será que foi um exagero e eu podia brincar assim?", mas na maior parte do tempo isso é meu eu ansioso achando que pisou na bola. Tanto que é a primeira coisa que precisei escrever ligeiro antes de mais nada.

 

Antes de acabar de me abrir num local online que é tão liberto, legível e solitário, quase mais fechado que tendo um cadeado. As camadas de desinteresse são mais pesadas e sufocantes que ferro.

 

Mas oh, eu estou me sentindo tão bem com o que ando pintando em aquarela que sou capaz de ignorar isso.

Pintei fogo pela segunda vez. A primeira vez foi no último dia do ano. A segunda, no primeiro. Foi meu momento de teste, de transição e evolução, do tipo "agora você faz dessa forma", como um modo de me dizer que não vou errar ou regredir daquela maneira nunca mais.

 

Mas nunca é tempo de mais, ou tempo que não existe.

 

Posso errar e não vou me recriminar por isso. Mas também acredito que não vou mais errar assim se seguir minhas resoluções próprias para pintar da maneira que o resultado vá me agradar.

 

Estou pensando em fazer um livrinho para crianças e eu deveria na verdade estar escrevendo ou rascunhando isso, mas estou aqui me abrindo para o nada.

 

Também há uma seleção de contos LBGT pra uma antologia repentina e eu estou interessada em escrever algo para.

 

Aquele negócio do Vianco furou, não vou mais participar. Dá pra ler em três ou quatro postagens atrás o quanto eu estava empolgada e o quanto isso morreu.

 

E o quanto não está fazendo diferença, já que estou focada em outras coisas.

 

Sobre minhas resoluções de ano novo:

- Fazer um artbook de Agharrin, ou ao menos iniciar um, o que é mais provável. Já iniciei, a primeira ilustração do primeiro capítulo está feita.

- Trabalhar com encomendas de aquarela. Bem, estou fazendo um livreto de ilustração infantil justamente para um portfólio útil.

 

E é. Poucas resoluções, é, mas possíveis. E intimamente, vou tentar me controlar e ser menos o eu escandaloso e que acaba falando demais ao se empolgar. Não quero fazer brincadeiras bobas, mesmo que isso talvez me torne estranha. Eu não gosto de exagerar, isso fica na minha cabeça depois. Você podia ter falado diferente, assim pegou mal. Vai parecer outra coisa. Está sendo inconveniente. Coisas assim. Acontece com pessoas que eu quero que me achem uma pessoa amiga. Com estranhos também, mas mais essas pessoas.

E eu quero mudar um pouco isso. Uma regra pequena de "quando tiver dúvida, não dê o passo", como quando eu aprendi a dirigir. Sem dúvida, sem medo. Só franqueza e um bom instinto que sempre me alerta (depois ou antes disso está meu guardião).

 

Falando em guardião, reprisei duas vezes A Origem dos Guardiões esse fim de ano. Como eu amo esse desenho.

Fico estranhamente emocionada quando o Jack está tentando brincar com a irmã enquanto na verdade ele sabe que um dos dois pode morrer.

Fico mais emocionada ainda quando o Jamie consegue vê-lo e ele se sente "acreditado" a primeira vez.

Eu não sei o porquê.

 

Esse desenho me ajudou a achar o meu "cerne" na ilustração, de não me preocupar com o que os outros iam achar, apenas o que eu gosto de fazer e arrisco a dizer que nasci para isso. Meus traços, linhas tremidas, por vezes. Um pouco, ou muito, mangá. Aprendendo aos poucos sombra e luz cada vez melhores. Deus me ajude. Meu cerne é fazer até achar a beleza no que faço.

 

Exerço o auto perdão na minha própria cabeça para me convencer que tudo é impressão minha e que não, as pessoas não vão me detestar só por isso, porque eu não sou o centro do mundo. Aprendi isso em House, ou com a minha mãe, minha cabeça não é boa. Você não é o umbigo do mundo para tudo ser culpa sua. Você é só uma pessoa que no máximo tem culpa pelas próprias cagadas, não pelo que os outros vão sentir na maior parte do tempo.

 

É muito bom mergulhar em mim mesma e enxergar essa miríade de "o que está acontecendo?" até contar e conectar os pontinhos. Só para descobrir depois que eu sou péssima em matemática e que está tudo errado.

 

Para encerrar, minha resolução é ser alguém mais prudente, acomedido, paciente e que desenha cada dia melhor para o bem da beleza do mundo, mesmo que seja só o mundinho do meu coração.

 

fireee.jpg

Foto do Sebby, não é scan. Tenho o scan já, e descobri inclusive como scannear sem as sombras das texturas ficarem visíveis. As da foto é a cor espalhada pela textura, diferente de aparecer a sombra da textura em si. É um spoilerzinho de leve do primeiro capítulo do primeiro livro, mas não tem problema.

 

Usei algumas referências para a cor, ou para o jeitão que eu queria minha ilustração. Ela não é quadrada exatamente, é uma A5, só que tirei foto quadrada porque: ????????

Saiu bem melhor que eu havia concebido.

 

Preciso comprar máscara para aquarela.

Graças a Deus também vendemos bem esse fim de ano. Mommy e eu trabalhamos com Natura, e cara, é bastante gostoso lidar com as pessoas. Será que já posso dizer que tenho experiência em venda direta? hahaha


O que aprendi sobre aquarela esses dias

por Laura SaintCroix, em 15.04.17

Primeiramente, que eu sou meio lerdinha.

Segundamente, que eu estou morrendo de saudades de escrever!

Pintei aquarela quando ganhei, depois em tela uns tempos, depois fui para caneta nanquim e desenvolvi arte para o meu furuto ebook, fiz um booktrailer no photoshop, depois voltei para aquarela... O que significa que há meses não escrevo!

Fiz umas páginas entre um arroubo e outro, mas nada muito significativo em quantia.

 

Aprendi que papel de aquarela tem lado para pintar. Francamente, primeiro pensei que era gramatura que estava errada, depois que era a cor (diferença entre branco e creme), e agora descobri a verdade: eu não havia percebido que andava pegando as folhas ao avesso. Fui pesquisar por ter achado estranho a razão ser a cor. Então a verdade veio.

Eu não sou tão ruim em aquarela, eu sou só meio lenta e azarada. (O lado certo sempre tem umas ranhuras/ruguinhas a mais! e o avesso é mais liso, mesmo nas folhas lisas)

Aprendi combinações de cores que ficam legais e não enjoativas também. Aprendi a usar o roxo. Hoje, meu último achievement foi fazer o cabelo do Rin sem estragar tudo. Vitória.

Aprendi também que eu não curto muito a folha branca.

As cores da pele do Rin ficam bem mais legais no papel creme. E, agora estranhamente, o papel creme meio que não escurece com a água. O branco, sim. E isso atrapalha um pouco, ter que esperar secar. Ah, é claro, é que esses papéis não são os tão próprios, gramatura 150. Mas o creme não enruga quase nada, o branco enruga mais, mesmo a gramatura sendo a mesma. Acho que o pólen é naturalmente mais duro, sei lá.

 

Eu não tenho como - nem por quê - pedir aos meus pais um papel mais proprício, o preço não é agradável e meu ramo principal é a pintura em tela. Mesmo que eu esteja amando aquarela, a probabilidade de haver venda para isso aqui é mais baixa que tela, eu acho. Não vou oferecer esse serviço, tampouco.

Faço aquarela por pura troça e vontade. Quero aprender o maior número de pinturas que me for possível, eu também pinto em tecido, quero aprender a pintar em vidro um dia, e porcelana. São pinturas bem mais delicadas.

 

Mas há esse papel creme, e nas oportunidades que eu vejo ele à venda, eu pego. O preço é 12 à 14 ou 16, depende do humor do Extra. Agora já aprendi que o creme é mais agradável para pintura, para a minha pintura.

 

Aprendi também que o papel absorve o óleo da sua mão, e que se for o caso, deixa até sua impressão digital. Sim, meus desenhos são meus, sem dúvida, tenho prova disso.

 

Aquarela é uma coisa bem mágica. Upei algumas no meu Dev. :B

Desenhinho sem censura porque, né, é o meu blog.

Esse é meu preferido.

aquarela_rin_esqueleto - Copia.png

Não sei o quanto vai durar esses arroubos, quero prosseguir, mas quero ideias. Ainda há o que eu queira realizar para mim (eu gosto de desenhar o Rin, na verdade isso é automático, mas estou com vontade de fazer o Sono).

 

As pequeninas aqui embaixo são feitas em papel branco.

 

C9apm2UW0AAxPJ9.jpg large.jpg

Acho que vou deixar o branco para grafites.

 

Beijinhos, té mais.


Sentindo-se com calor

por Laura SaintCroix, em 20.02.17

E com final de resfriado.

O calor está me fazendo virar cinzas.

Eu poderia estar revisando meu livro, escrevendo minha parte do capítulo para o livro em conjunto com a Yasu, escrevendo um conto que quero para uma antologia de um amigo, vendo alguns concursos que anotei (a maioria só pra ver mesmo), escrevendo conto para antologia vampírica da Empíreo, pintando aquarela, pintando rosas em tela (porque certamente sai rosas, né), rascunhando, vendo se faço capas no Ps, embora não tenha nenhuma a fazer realmente...

Mas estou com dor no ombro e com vontade de fazer nada. Detesto essa dor no ombro direito, perto da espádua.

Acho que vou mexer com biscuit. Ver se ainda consigo fazer um bonequinho do Rin.

Ele está meio feito. Vou tentar fazer algumas coisas, acho que ficará interessante.

 

Eu guardei um resto de uma outra vez, mas fiz mal e endureceu. Era meio biscuit, deu a maior pena.

Não sou a rainha do biscuit, é a primeira vez que mexo com isso. Tem gente que até enverniza. É uma gracinha.

O plano é fazer o cabelo dele hoje. A roupinha e o resto está feito.

 

Imagem para a cara da postagem.

 

image1.JPG

 

Preciso falar das desgraças (que só o meu exagero e prolixidade "escritiva" fazem desgraça o que não passa de calor e falta de paciência), então preciso falar das glórias e júbilos também (respectivamente álbuns do Matenrou Opera e Versailles, hahaha).

Nem dá para acreditar que fui eu quem fiz esse olho. Pode não parecer nada de mais a um profissional de aquarela, mas há alguns dias eu não conseguia nem mesclar as cores direito, agora tem até um degradê e uma cor "sumindo" nas beiradas. Eu estou muito contente com o resultado desses dias insatisfeita. A satisfação foi maior ao acertar um pouquinho.

Amo o azul da prússia e o amarelo ouro. E o vermillion, que é o avermelhado bonito ali.

 

Inté. Escrever com despretensão no blog é relaxante.

"Mas Laura, vai escrever o livro"

"Vou nãm"

 

E hoje é o aniversário da minha melhor amiga literária, companheira de carreira e de sofrimento por shipps star crossed, Yasu!

Intimidade é uma merda, né, velha? A pessoa merece cinco sapinhos psicóticos:

É uma grande pessoa!

Recadinho:

shippo mesmo.jpg

Essa imagem do Silvio é muito representativa.

Ontem foi o live do Versailles no Budokan, finalmente, e eles estão tão felizes por isso que me deixam feliz também.

O respeito e o carinho das pessoas com eles é muito lindo, de outros artistas também. Eles são amados.

 

Sobre aquarela: depois de falhas, acho que peguei melhor o esquema. Uso de pincel plus tintas. Posso dizer que a única coisa que não gostei muito, mas isso é porque é o tom da tinta, não tem a ver com a marca, foi do vermelho. Ele é muito claro. É algo como vermelhão chinês, e por ser aquarela, não posso diluir muito, se não fica um rosa meio xoxo. Não é ruim, mas eu pessoalmente não gosto desses rosas de vermelho embaçado.

 

Tive momentos de frustração, como por exemplo estraguei uns três desenhos por causa do fundo.

Eu não sou muito criativa com fundos, mas acho que estou pegando o jeito.

Adoro olhar as ilustrações do Amano Yoshitaka. É algo especial.

Eu queria fazer algo do tipo, tenho receio de copiar muito (um receio bobo, eu não sou capaz daquilo nem que quisesse copiar, eu acho, hahaha), mas que lembre um pouco no quesito de composição.

Mas não sou tão boa com fundos. Costumo pôr rosas em tudo.

Não demora muito meu amarelo ocre esgota de tanto que uso ele, acho que é minha cor preferida na aquarela. Ele e o preto.

Eu tenho uma preocupação boba com materiais também, eu não quero gastar porque é caro. Isso é quase infantil, mas é bem sério ao ponto de "prender" minha criatividade.

E também, pior, não quero gastar à toa e jogar fora, porque é desperdício e eu detesto desperdício. Não achei no lixo para ficar fazendo ilustrações feias e sem sentido. Eu quero preencher uma folha adequadamente porque espaços em branco podem ser desperdício também, então tento fazer um fundo e ele sai horrível do tipo que era melhor ter deixado branco. Isso ocorre porque as folhas são grossas, de gramatura 150 (ainda enruga um pouco na aquarela, mas melhor que sulfite, e foi "barato" se formos considerar a grossura da sulfite).

 

É isso.

Mas estou me soltando.

Não sei se é interessante ler isso, mas acho que não sou a única que sente dessa forma.

Falei do Amano-sensei, e apesar de querer pintar daquela maneira, não consigo pegar e usar referência, hahahaha. Eu não consigo copiar algo. Eu não sigo nem fotografia direito, não sei o porquê.

É um sentimento contrário, quero e não quero. Quero porque amo o estilo dele, mas tenho medo de ser taxada com falta de originalidade, na verdade, tenho medo de isso ser um desrespeito com um artista que gosto tanto.

 

Isso se parece com um diário.