Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bienvenue Blog

Maresia de inspirações, disparates, aventuras, desabafos, misturas. Aquarelo por aí também. Mantendo a alma livre o mais que posso.

Eu estava pensando sobre isso

por Laura SaintCroix, em 04.11.18

Estudar com movimentos de artes antigos / clássicos.

Bonjour!

 

Eu nunca fiz isso antes, a não ser na escola, acho, quando estudando algum, mas não é certeza.

Hoje em dia, com a internet bem mais acessível aqui em casa, eu consigo conhecer as artes de artistas antigos bem melhor e numa pesquisa simples. Isso é uma parte ótima dessa tecnologia toda, então esses dias...

Há uns cinco dias, eu tinha me sentido estagnada, artisticamente falando. Ninguém me disse isso, pelo contrário. Sou eu quem achei isso, não sei porquê.

A bem da verdade, a gente acostuma um pouquinho a ganhar confete das pessoas e sente falta disso depois, e consequentemente, uma pessoa com um pouquinho de ansiedade já se culpa por isso (eu, no caso). Eu concluí isso sozinha, e vocês podem dar risada, eu só sinto algo do tipo. Mas não quero ir a médicos, eu não vou nem quando estou doente de fato, menos ainda iria só por achismo próprio.

De toda forma, eu tinha sentido que minhas artes recebiam um pouco menos de atenção, algo do tipo, em grupos em que eu publicava. Como se as coisas estivessem monótonas, desinteressantes. Eu me senti mais culpada do que a realidade de que poderia ser uma série de fatores externos, inclusive horário e mood das pessoas.

Oh, nossa, você veio ler um artista choramingando. Hahahaha, desculpa.

Mas é como me senti. Coisas tão bobas recebiam atenção, como alguém procurando confusão política sem ter o tino crítico e social voltado a isso de fato, porque há quem tenha artes bastante políticas por cerne, mas alguns outros...

Uma enxurrada de comentários de retaliação e a festa sempre está feita.

Claro que passado uns dias eu notei que não é comigo, e que eu estou sendo boba, e que não devo esmorecer por nada. Nada.

Essa é a lei de sempre continuar, é por isso que não me aceito bloqueada por nada, "artisticamente" falando.

Talvez eu seja um pouquinho rude comigo para criar quando quero, hahaha. Não façam isso em casa, crianças.

Eu também sei quando devo parar, e estou na época disso, de parar e descansar a cabeça, pelo menos no sentido de pinturas. Vou começar a jogar Zelda, ver se maratono os jogos que tenho no Wii.

 

Falando das coisas que fiz, acabei duas encomendas e as ilustrações para o livro infantil dos meus amigos. Deus, eu estive tão abobada com as coisas que tinha que fazer que nem publiquei aqui a capa e a pré-venda.

Amanhã, se eu lembrar, farei isso.

Só consigo dizer o quanto estou orgulhosa e feliz desse projeto. Mal vejo a hora de ter em mãos o livro impresso e colorido.

As eleições no meu país me deixaram mal também, embora eu saiba que tenham pessoas em pior estado. Nada nesse mundo é à toa, disso eu tenho certeza. Esse fluxo não é uma opção.

 

Enquanto escrevo, é como se houvesse alguém isolado na minha mente, um eu verdadeiro que não se mostra e que sabe todas as palavras que deve usar, num pensamento calmo e ininterrupto até alguém bater à porta ou entrar conversando na sala.

De modo que esse blog quase acaba sendo uma crônica curtinha, só não inventada.

 

Onde eu estava...

Movimentos de arte?

É isso, e férias, e Zelda, e movimentos de arte para o próximo ano, estou animada porque comprei tintas novas, e sairão coisas lindas disso, EU ESTOU TÃO APAIXONADA POR VERDE. Eu só preciso descansar um pouquinho e jogar video-game.

O verde tem me chamado atenção, oliva, folha, sapo.

O set que comprei vem um verde lindo e cheiroso.

 

Quero estudar um pouco de Alphonse Mucha, depois alguns pintores e óleo, e ilustradores diversos de movimentos de arte. Deus, me permita fazer ao menos metade de tudo o que está aqui dentro, hahaha.

 

Também planejo escrever ano que vem, mas deixo isso para as resoluções de ano novo.

As desse ano eu estou feliz em cumprir, comecei a trabalhar com o que eu amo, evoluí nisso.

 

Evolução me lembra o assunto de estar estagnada.

Sabem, têm outros posts falando do Amano, como eu conheci as ilustrações e etc, então posso dizer com contexto que acho que me estagnei um pouco nele. Como eu digo isso sem soar mal? Quero mais inspirações, tenho medo de amar demais as ilustrações de uma só pessoa e acabar me podando para onde possam crescer mais galhos com flores que eu nem imagino. Porque por mais que eu ame, acho que tenho que ter meus próprios ramos.

Isso não é culpa de ninguém e é um sentimento tão íntimo que eu não deveria nem estar pondo em palavras, porque pode ser só para os meus olhos, os outros podem não dar uma fod* para isso, porque não percebem, porque não concordam, porque não acham o mesmo.

E eu mesma, no momento seguinte, acho que escrevi/pensei bobagens e que deveria apagar, mas não vou. Pensamentos não são um texto em revisão. Acho algumas artes minhas inspiradas demais, mas ao mesmo tempo não, porque sei que não é o mesmo, sei que não fiz por fazer assim, por isso talvez esteja só na minha cabeça, hahahaaaaahhhhh, me embananei. xD

 

De uma coisa é certa, eu sou eternamente grata com o trajeto até aqui, ao Amano, pelas inspirações admitidas ou não, até subconsciente sob o qual não tenho todo o controle (ou nenhum).

 

Por isso acho que vou fazer mais rotas nesse mapa, mais arte, expansão, para que outros artistas invadam meu subconsciente. Talvez seja um trajeto para retornar ao início com mais e mais bagagens espirituais. Gosto desse pensamento.

 

Sem medo. Eu nunca tive medo de fazer arte nenhuma nessa vida.

 

dontforget.jpg


ψ( ` ∇ ´ )ψ [pessoa que não sabe o que dizer]

por Laura SaintCroix, em 20.09.18

Bonjour!!

Há quanto tempo **sorriso amarelo** de novo...

Mas ainda não desisti do blog, não tenho outro lugar pra esvaziar a cabeça que não aqui, quando não posso redigir um conto.

 

Graças a Deus há muito acontecendo e eu estou muito feliz, mesmo, só que hoje amanheci meio ruim porque não dormi bem. Estou meio que 60% só.

 

Eu tenho pintado aquarelas a todo vapor e tenho ficado muito feliz com elas, não sei nem se essa é a palavra.

Tenho que fazer uma surpresa a uma sobrinha/prima, e quero que fique fofo para ela, algo em biscuit.

Tenho que elaborar uma ilustração legal de uma cena que passe emoção e algumas lágrimas discretas, e sabe, EU NÃO TENHO IDEIA DO QUE FAZER, ainda.

Quero comprar um console e um jogo.

Quero (re)aprender a tricotar, coisa que eu fazia quando pequena.

Quero aprender a fazer crochê e bordado. Eu amo costura.

 

Eu amei o filme de Bleach que a Warner Japan fez. Uma amiga linda me emprestou a conta dela e eu pude assistir, haha.

Preciso continuar fazendo alguns contos, tenho um teatro para fazer também, e preciso fazer um coração 10/10 pra isso (vai ficar incrível!).

 

Esse post é caótico e quase uma lista de afazeres que eu sentei para perder um pouco de tempo organizando minha mente.

Eu sou um pouquinho ansiosa. ^^"""

 

Estou esperando uma resposta também, para iniciar outra aquarela. Esse final de ano vai ser todo, todo. Me faz lembrar que o que eu desejei no ano passado acabou se realizando. Eu queria trabalhar com encomendas e aquarelas, e olhem só. Não é como se eu estivesse vivendo sozinha disso, mas ver as pessoas felizes com os resultados que eu entrego é renovador, acho que era disso que eu estava atrás, não sei dizer.

Se eu vim para a Terra para pintar, acho que é para fazer isso pelas pessoas de algum modo também.

Isso pode soar um pouco egoísta, mas meu cérebro hoje só está filosofando até aqui.

 

Ganhei um colar da Akatsuki da minha sobrinha, eu amei!

Ganhei perfumes de mamãe também, Natura Una Senses, que eu amei demais. Amadeirado, adocicado, único como o nome. Eu gosto de perfumes assim.

 

Recentemente estou apaixonada nas músicas de Bleach, cantadas pelos personagens, principalmente do Byakuya, hahaha. Eu não mudei nada desde o último post sobre ele, em 2012. (procurem pela tag) Os dubladores são realmente incríveis cantando também.

 

Bom, estou esperando o lançamento do projeto novo do vocalista do Matenrou Opera, Sono. Eu não lembro o nome da música, é algo com chuva e arco-íris e Tóquio. Eu acho.

 

Tenho ganhado muitas coisas boas no meu joguinho mobile, Final Fantasy Record Keeper. Cloud husbando está upado.

 

Ahhhhh, estou eufórica/feliz/atrapalhada e ao mesmo tempo precisando dormir e sem saber realmente o que fazer, por estar esperando respostas. É um meio termo entre iniciar algo e ter que parar quando a resposta chegar, e não conseguir descansar porque tenho muito a fazer.

 

Então vim escrever no blog pra dizer que estou bem.

 

IMPRIMI CARTÕES também, ficaram tão lindos!!!!!!

O excesso de ! foi o quanto que eu adorei.

 

Tenho um site lindo agora também. Aqui.

Ter um portfólio organizado dá um gosto.

E tenho uma página também!

A Q U I.

 

Acho que divulguei, falei, desabafei, informei. Agradeço aos meus amigos que me apoiam no âmbito artístico também, eu não poderia prosseguir muito longe sem essa "união faz a força".

Sabiam que o KAMIJO reconheceu aquelas ilustrações que nós fizemos? Um grupo de ilustradores (eu junto, haha) fizemos ilustrações das histórias dele, e ele postou isso e agradeceu o artbook. Ficamos sem nos aguentar de felicidade. Eu nem sei se já disse isso aqui. lol

Depois foi entregue outro artbook, mas a minha amiga que o fez não nos deu muita notícias sobre, ou eu perdi em algum canto a informação. De toda forma, eu espero que ele tenha reconhecido o que eu fiz, haha. Nesse eu realmente fiz muitas mais que no outro artbook. Foi um treinamento e um contentamento.

 

Ainda tenho que fazer resenha de um livro que ganhei do meu amigo, sorte eu ter anotado as impressões.

 

Ano que vem vou me focar em aprender Japonês. Talvez daqui a dois anos eu vá para o Japão. Será que consigo aprender até lá? :P

 

Post que vem, talvez eu faça uma playlist de Agharrin só com músicas japonesas.

 

Cara da postagem:

submerso.jpg

Uma das últimas aquarelas, com decoupage. Quase coloquei lã também, haha. Minha mãe voltou a tricotar e tem tanta cor aqui em casa! hahaha

Amo minha véia.

 

Devo ter esquecido de algo, mas não tem importância ter esquecido de pôr. Aqui fora eu tenho muitas listas do que fazer.

 

Quero comprar aquarelas internacionais, mas mais para frente.

 

Keep on burning soul!


Vários nada

por Laura SaintCroix, em 27.04.18

Bonjour!!

Hoje amanheci com vontade de voltar a dormir. Não é cançaso, também não parece preguiça, é falta de vontade. Estou sem ignição.

Mas já, já isso muda.

 

Ontem olhei fotos antigas e algumas servem até como stock photo para quem quiser usar, vou tentar fazer upload em algum site do tipo.

 

Também farei um rascunho de um trabalho para um rapaz.

 

É isso. Qualquer hora monto a playlist que eu disse a mim mesma que faria.

 

1232579734656_f.jpg

Lillie Charlotte.


Amálgama

por Laura SaintCroix, em 06.02.18

Bonjour!!

Aconteceram tantas coisas legais!

 

Fui à praia pela primeira vez depois de... vinte anos?! Ou quase isso. Foi a melhor sensação. O mar estava agitado, o tempo estava nublado, quase chovendo, ventando forte, as ondas estavam altas. A água salgada ardeu bem menos do que eu pensei que fosse arder, porque na verdade eu nem senti. Minha mãe me avisou que meu cabelo ia ficar uma droga, mas eu senti ele normal... Mar é muito gostoso. Minha próxima meta é conseguir estar num navio.

Aquela coisa é viva demais, é como nadar nas correntes sanguíneas de um ser gigantesco que pode te arrebatar. Mas na verdade parece que um pouco de nosso espírito fica nele, então somos arrebatados de toda forma.

O cheiro eu também pensei que fosse ser bem mais forte, mas isso talvez se deva ao tempo e ao vento mais forte. Todavia, nem mesmo cheiro de peixe me incomoda. Então eu acho que não me sentiria incomodada.

 

Só tenho a agradecer meus tios. Ela ficou tão preocupada de não estar sol, mas sabe que esse tempo nublado é meu preferido.

Mas admito que senti medo do céu, eu entro em choque e fico trêmula se o céu pretejar e começar a relampejar e eu estiver ao ar livre (pior ainda, no mar!).

 

Não engoli tanta água quanto pensei que fosse, mas as ondas me levaram e eu só consegui ouvir as gargalhadas da minha prima.

 

Isso já tem uns dias.

 

Agora, no presente, estou um pouco triste com a notícia de que o baterista do Matenrou Opera vai sair por não conseguir mais tocar direito. Está doente e espero que consiga se tratar. A banda agora fica sem guitarrista e sem baterista. Espero que chamem o JaY definitivamente, mas não faço ideia de quem possa tomar a bateria.

 

Vou fazer um desenho para um projeto depois, para ele.

Estou com vários para fazer, graças a Deus. Um para o KAMIJO (e acho que quase entrando num segundo para ele), um para o Yu, uma ilustração de artbook para uma amiga que eu AMEI poder participar e espero que dê tudo certo para imprimir, tenho meu livreto infantil para ilustrar, tenho Agharrin para ilustrar...

Tenho certeza que essas coisas vão me render algo no futuro, tenho fé nisso, é o que eu amo fazer e vou prosseguir enquanto for possível. Tenho pais maravilhosos que não se importam em me dar essas coisas para prosseguir enquanto eu não consigo andar com as minhas pernas.

 

Pintei aquele biscuit do Sono, ficou tão lindo que eu nem acredito que eu quem pintei.

 

collage.jpg

Quando eu colocar as roupas, vai ficar tão lindinho. Posto fotos.

 

Baixei alguns videos do KAMIJO, vou ilustrar a história dele, fazendo parte de um fanbook, eu estou tão feliz com isso e desejando muito que tudo dê certo e que nós consigamos ilustrar bem lindão. São nove ilustradores.

 

Muito a fazer, pelo menos para mim, mas agora o que eu pretendo urgentemente é: fazer a arte pro Yu e PASSAR UM PANO NO CHÃO PORQUE TÁ ARENOSO E EU VOU ACABAR CAINDO.

Eu estou muito no pique de escrever no blog, que milagre, hahaha. Bonjour!

O post passado foi uma série de percepções pessoais acerca de aprender a pintar.

 

Nada definitivo, se existe algo nesse mundo, isso é que nada é definitivo mesmo, hahaha. O desafio às percepções constante é ótimo.

 

Vim aqui falar de mim e fazer um aparte sobre Yoshitaka Amano e o que aprendi com ele e Gustav Klimt.

A primeira vez que ouvi (li) o nome do Amano foi pelo KAMIIJO. (NOVIDADE! ÁGUA MOLHADA!)

Ele disse que gostava e queria ter ido a uma exibição que teve no Japão, mas que não pôde ir.

Eu, xereta, fui ver quem era, claro. Falei um ligeiro "Uau!" pras obras dele e pronto.

Daí comecei a de fato jogar Final Fantasy por motivos de: joguinho de celular, e me deparei de novo com as ilustras dele, claro. Mas não fui atrás.

 

Ilustra vai, ilustra vem, abracei meu lado "desenha mangá, filha da puta, é o que você quer" e comecei a treinar desenhar a caneta, direto.

Fiz uma arte do Vincent Valentine e uma amiga disse que parecia inspirado nas obras do Amano. Eu fiquei "hmmmm, esse é o..." e fui buscar de novo, porque sou péssima de memória. Ah, sim, o cara que o KAMIJO gosta das ilustrações. Guardei o nome.

 

Eu sempre tive vontade de pintar em aquarela, um dia desses minha mãe viu meus olhinhos brilhando enquanto eu via alguns videos e quando fomos na loja comprar não lembro o quê, eu perguntei de aquarela, só pra saber dos preços, e a velha comprou pra mimi, hahaha. Eu fiquei "omg minha mãe é a melhor", claro.

Daí comecei a pintar, toda felizinha. Procurei algumas pessoas que também pintassem aquarela, e até mesmo o Amano, olhei algumas coisas. Mas nunca fiquei com isso fixado na cabeça, nem dele, nem de qualquer outro artista. Talvez um pouco do amarelo do Klimt, vai.

Pintei umas coisas e o segundo que fiz eu mostrei em um grupo de arte no Facebook. Não me lembro bem, mas umas quatro ou cinco pessoas disseram "nossa, lembra as artes do Yoshitaka Amano".

Eu fiquei "EEEEH?" bem de anime mesmo. Imaginem o Luffy aqui falando "Heeee, hontoka?"

Não tinha levado as coisas ditas antes muito a sério, daí com essas pessoas eu fiquei pensativa. Será que parecia mesmo? hahaha

 

Então comecei a estudar o jeito dele de fazer as coisas, e por increça que parível, ele foi quem mais me ajudou numa coisa inédita, não foi nem na aquarela, nem nas cores, foi a anatomia e composição de cenário. Eu tinha um traço muito preso, muito temeroso de errar e sair das normas. E olhando as artes do Amano, eu fiquei "eu posso treinar com isso", e eu nunca amei tanto meus desenhos quanto agora, desenhando livremente, sem me preocupar em acertar. E sabe o que é mais legal? A anatomia não está errada (não algo que se diga "nossa, que errado"). Não deixei de treinar, adoro os rascunhos do Da Vinci com cavalos para treinar também.

 

E com o Klimt, li um artigos sobre ele, que ele rascunhava em grafite o que ia pintar antes de transpôr à tela. Eu vi que eu estava errando muito as cores no que eu desejava, justamente por não visualizar bem o que eu queria. E rascunhar é exatamente isso.

 

E não posso deixar de mencionar o canal do Crás Conversa, do Thiago, onde eu aprendi que passar a lineart em caneta, ou mesmo quando você transpõe um rascunho para uma folha, seu trabalho não acabou, sabe? Eu entendi isso tão profundamente que era o que eu estava precisando. Entender o porquê de o rascunho muitas vezes sair tão legal e você transpôr ele e a coisa perder a magia. É porque você faz a transposição de maneira muito robótica, procurando acertar e perdendo a naturalidade.

Foi balsâmico entender isso, que você precisa soltar a mão também na hora de passar a limpo.

Um amigo pediu nos comentários o link para o vídeo do Crás, e ei-lo aqui: [AQUI]

Foi a maneira que eu entendi o video, aliás, então acho que ele é aberto a interpretações diversas.

 

Bom, o conjunto dessas inspirações e resoluções me fizeram abraçar meu cerne (beijos, Guardiões) e gostar do que eu faço e até querer trabalhar com isso.

 

Hoje em dia eu tenho pastinha de inspiração com algumas obras do Amano, algumas do Klimt, algumas obras aleatórias. Uma amiga disse que se lembrou de Marc Chagall e eu também guardei coisas dele.

 

É aquilo de olhar para fora para enxergar melhor o que está dentro de nós.

Obrigada pro pessoal que diz que algo meu se parece com o do Amano. Eu ainda não acredito em vocês, mas amo vocês mesmo assim, hahaha.

E não é ofensa de maneira alguma. (Digo isso porque o pessoal acha que ser comparado a outro artista é uma ofensa à sua originalidade.) Eu não acho. Comparem sim, comparem um monte com outros artistas, eu adoro estar unida a essa galera. E no caso do Amano, isso é um lisonjeio sem tamanho pra mim, já que fiquei fã dele depois de tudo isso.

Comparar com pessoas reais e outros personagens já são outros quinhentos, embora eu não me importe particularmente, entendo os outros se importarem.

 

Nada disso deixa de ser culpa do KAMIJO, mas eu dou um desconto porque também é culpa de Final Fantasy.

 

E ainda hoje acho que aquela arte do Vincent que eu fiz, e que minha amiga achou semelhante ou que lembrava do Amano, era o meu jeito de fazer o cabelo do personagem, que eu tentei imitar e aprender com o jeito que faziam o cabelo do Kusuriuri-san no anime de Mononoke.

 

O tiro nunca saiu tão pela culatra.

457940.jpg

Se algum dia estiverem na dúvida sobre qual presente me dar, me deem um artbook dele. Eu não tenho nenhum.

Sabiam que eu um dia cismei que o nome do Klimt era Ernest? Volta e meia eu falo errado na minha voz mental.

 

Beijos e espero que meu falatório sirva de algo algum dia além de esvaziar minha cabeça.