Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bienvenue Blog

O lugar secreto de escritos, artes, disparates, filosofias vãs, musicalidade de alma e merchan de segunda categoria.

Coletânea de sketches noturnicos

por Laura SaintCroix, em 05.08.16

Passei o dia descobrindo meu cerne para o desenho. É o que chamam de desenvolver o traço, quero fazer com facilidade, sem medo de errar e do que vão falar, só o que eu quero. Quero a minha alma nua nos meus desenhos... Talvez não pareça, mas é algo estranhamente difícil de se conseguir. Não é uma questão de "quero ser diferente de tudo o que existe", mas sim querer expressar da melhor forma o que há de ser expressado. Eu só demoro a engatilhar o que quero expressar, preciso treinar posições e a criatividade para elas... Eu não sou boa com cenários, poses. Eu não sei o que fazer com as mãos em fotos, quem dirá sobre desenhos!? hahaha

Para tanto upar meus skills em poses quanto o meu cerne, a forma com a qual quero me expressar, eu desenhei ontem e hoje. Ontem não, minto. Outro dia. Espero que esses desenhos estejam agradando, já que um de meus propósitos e trabalhar com isso também. Ilustradora em arte tradicional (só no grafite de lapiseira), hahaha. Saudades, verba.

A verdade é que não quero me focar além dos traços simples. Gosto de brincar que é falta de verba, mas não é isso. É que eu não tenho paciência para todas aquelas medidas de grafite! Outra arte tradicional que queria é a aquarela, mas acho que me faltaria tempo para aprender, então não arrisco comprar tintas.

Já não me bastam as tintas óleo, mas essas eu uso com certa frequência. Achei meu cerne na pintura também, pessoas e rosas. Pessoas e rosas. Eu amo rosas.

 

Na verdade eu só queria desenhar mesmo essas lindezas, hahaha, meu primeiro fanart decente (ou indecente) do Sephiroth.

Fiz um do Cloud outro dia, mas mommy e eu tivemos uma ligeira briga (daquelas frequentes que passam num piscar de olhos e no segundo seguinte estamos rindo de novo, porque somos duas teimosas, segundo minha prima que presenciou o desentendimento hahahaha), então eu não cheguei a postar. Está guardado, e eu ainda o amo. Quero fazer um Cloud decente (ou indecente!?) também, ele é meu herói, mais o Link e o Zack. Link é um herói em vários, ou vários em um, hahaha. E o Zack... Ah, o Zack. Ele é um herói com H maiúsculo.

 

Tendo encontrado meu cerne, batalharei para mais fanarts decentes (sem piada do indecente de novo), e aproveitarei para treino de anatomia, criatividade em poses e zaz.

 

Curtam lá no instagram, galera.

 

 

 

 


Night of the second day

por Laura SaintCroix, em 04.08.16

Cá estou eu, terminada a formatação do blog. Já estou chamando urubu de meu lôro, hahaha.

 

Well, vemos aqui ao lado um homem gueixa (sabiam que a tradição das gueixas se iniciou com homens artistas?, é interessante ler sobre, eles tinham um nome em particular, o qual esqueci porque tenho a cabeça nas nuvens).

Eu que coloquei a katana na mão dele, hahaha, era uma sombrinha daquelas orientais, que também deve ter seu nome próprio.

Sono fica incrivelmente igual a uma cena em particular que ocorre no meu livro primeiro, e ele me lembrar essa cena é especial, tanto que esse template é dedicado a ele. E vou calar a boquinha para não dar spoiler.

Não sei se acompanham meu last.fm (quem o faria? haha), mas ultimamente tenho ouvido Matenrou Opera mais que qualquer outra coisa. (PASMEM) Não que tenha abandonado outras músicas, mas Burning Soul me deixou chocada ao ponto de eu começar até a gostar de AVALON que eu não tinha gostado.

Tomo ni sasagu requiem é uma das melhores faixas, junto com Jolly Roger wo sakazuki wo.

*ergue a plaquinha escrita "SOU OPERER"*

 

E PORQUE ESTAVA AFIM DE DAR UM TOQUE JAPONÊS NO MEU BUROGU, OKAY? OKAY.

 

Digam o que acharam, please, faz dois dias que eu estou fazendo isso direto. (sapinho psicótico intensifies)

As fotos foram tremendamente editadas para não dar problema. A letra no fundo é de Helios, que foi a música que me deu o tapa na cara pra ir ouvir tudo de Matenrou Opera. Eu já disse aqui que minha mãe e eu mostramos o PV a todos os que entravam aqui em casa? Nós assistimos umas cinco vezes seguidas, e mostramos para os tios, os amigos, a família, hahahaha.

Sem dizer que é uma das letras que se encaixa PERFEITAMENTE nos livros de biopunk & ficção fantástica que estou escrevendo agora. Rin é capaz de se dar bem em qualquer mundo.

Fiquei contente em saber sobre o vibratto do Sono, e que a voz dele é considerada uma "voz absoluta" por causa do tom (3,5 oitavas, segundo o que li numa comunidade no VK.com). Isso é realmente legal.

É claro que eu já media isso antes, quando ele estourava o áudio dos meus outros celulares e do Sebby vez ou outra, hahaha.

 

Agora sobre Versailles... Quero álbum novo, quero música nova, mimimi.

As fotos deles à cavalo ficaram ótimas (e nostálgicas pra caramba, por razões óbvias hahaha). A última que saiu do KAMIJO, com uma capa de plumas negras, ele deve ter se lembrado daquela capa de plumas azuis no LAREINE.

Quero aquela foto maior. Os blogs que divulgam as coisas postam imagens pequenas demais.

Quero o vestido do Hi-chan também, aquele branco do projeto solo dele. Aliás, saiu hoje (ou ontem /fã incompetente), e já deve ter para download, eu vi rodando por aí, mas não baixei (acho que só vou ouvir). O PV foi upado num canal oficial, se não me engano, mas eu estava ocupada com códigos de template para ir assistir...

 

Também fui para São Paulo/São Bernardo esse fim de semana, para a casa da prima japa.

Compramos ~muambas~ na Liberdade. Eu comprei uma miniatura do Cloud e ainda estou apaixonada por ele.

A prima comprou um anel para o mindinho, que ela tanto queria, e conseguiu pegar um fucking bichinho de pelúcia numa máquina de garra, e de primeira. Admito que nunca havia visto alguém tão feliz ao pegar uma pelúcia, hahahaha.

 

Amo Zelda há anos e não consegui comprar nada de Zelda ainda, pois o que eu queria estava ou caro, ou malfeito. E Final Fantasy VII, que curto há um ano e pouco, consegui um colar de lobo (Fenrir), bottons, uma Buster Sword e o Cloud. Link vai ficar com ciúmes. Na verdade até o Vincent, considerando que comprei coisas relacionadas ao Cloud... É que a miniatura era chibi, do Vincent não era. Chibis são amor.

Mas eu voltarei lá e trarei um colar da Triforce, uma Master Sword e uma miniatura do Link (tinha de Spirit Tracks, uma lindeza, mas o Cloud... o Cloud... Reunion... Re...uni...on *apanha*).

Aquele lugar é realmente o paraíso. Tinha tantas action figures de One Piece que era de enlouquecer. *inner screaming ZORO!!*

 

Agora vou dormir, estou com sono. SEM TROCADILHO BESTA, POR FAVOR, EU PASSEI O DIA COM SONO E *apanha pela segunda vez*.

 

Bonne nuuuuuuit!!

[Yep, I love sapinhos and I'm gonna protect them]

[Them sim porque sapo também é gente]


Crisis Core FFVII | 6.1 | Final

por Laura SaintCroix, em 28.03.16

Olá de novo! ~

 

Terminei de jogar Crisis Core. Faz uma meia hora ou mais.

Eu sou uma pessoa meio difícil de se emocionar com as coisas, tem uma muralha aqui... *Yzma feelings*

Mas Crisis Core superou o quanto eu tinha chorado com Skyward Sword. Faço questão de dizer isso primeiro, detalhes mais à frente.

Não leia isso, definitivamente, se não quiser perder a graça do jogo. Eu vou dizer com detalhes, porque está bem vivo na lembrança. Desculpem, isso não é muito bem uma resenha, é mais uma narrativa, mas é legal pra quem não quer jogar/não tem como jogar saber o que acontece, mesmo que por escrito.

E porque eu gosto de fazer assim. Não sei muito bem fazer de outro jeito, não sei ser impessoal aqui.

 

Eu não fiz mais missões porque eu vi que não tinha muito o que mais ficar mais forte (?). Meu ataque tirava 9000 de cada cara, sem levar a defesa muito em conta, que por mais que fosse alta, tirava 6000 de dano. Graças às materias, é claro, mas tirava.

Fui pro Genesis através de um portal de luz. Portal da Separação, acho.

Lá ele me disse que o verdadeiro "presente da deusa" era... O ponderamento no próprio mistério em si. Tanto eu quanto o Zack não entendemos. Disse também que era o ato de LOVELESS se cumprindo, porque era dito que o Herói, o homem que vaga e o ladrão (se não me engano) se encontrariam, e na interpretação dele, o Herói era o Sephiroth, o homem que vaga era o Angeal e etc, e os dois estavam no Zack de algum modo, pelas células JENOVA e pela espada e espírito de honra. Achei essa parte muito interessante e bem emendada com os atos de LOVELESS.

O Zack tentou ajudar o Genesis. Ele tentou o mais que pode conversar com ele, mas não deu. Ele começou a dizer que o ato final da trama era a lifestream, então ele virou um montro de armadura e espada gigantes.

Nisso, Zack tinha que golpear a espada e foi fácil, porque ele não fez mais que isso. Depois teve um mano a mano e o Genesis perdeu porque estava fraco, me deu a maior dó. :(

Depois o Zack pegou ele no ombro, porque ele é um mocinho valoroso, e o levou dali e o pôs sentado na cadeira em que o Cloud estava. Do lado, estava o Lazard, que disse que eles tinham sido atacados pela Shinra, mas que teve ajuda daquela criatura que estava na Igreja, que tinha ajudado a Aerith e ele a se defender de uma máquina da Shinra. Ele ajudou ali e desapareceu junto com o Lazard, depois que o Genesis acordou... Ele acordou, aliás, porque o Zack deu uma maçã de Banora pra cada um comer, pôs uma no colo do Cloud, uma pro Genesis e uma pro Lazard, mas só ele podia morder a maçã... Eu sorri nessa parte, porque ele tem um coração lindo. Genesis disse que encontrou o verdadeiro presente da deusa, e eu fiquei boiando, porque talvez ele se referisse à amizade dele com o Angeal. (EDIT: estava a ler algo numa wikia aleatória e parece que foi porque o sonho do Genesis era que o Sephiroth experimentasse uma das maçãs, ou mesmo que um herói a experimentasse, lembro de ter lido isso num diário ali em Banora, e o Zack fez isso, direta ou indiretamente. Seria esse o presente da deusa? Ter um sonho realizado?)

Depois de sumir, o bicho deixou uma carta.

Eu comecei a chorar daí. A carta era da Aerith dizendo que fazia quatro anos que ela escrevia cartas e que ela nem sabia mais pra onde mandá-las... Mas que desejava que pelo menos essa chegasse ao Zack, pra saber que ela estava lá, esperando.

Meu coração desmontou com isso, mas eu segui firme, e o Zack também, porque achou um desaforo fazer quatro anos que tudo aquilo havia acontecido em Nibelheim. Ele pegou o Cloud nas costas e partiu, deixando o Genesis ali sentado.

DAÍ apareceu algo interessante. Eu reconheci as vozes porque joguei Dirge of Cerberus, e se não me engano, não estou enganda (?). Eram o Nero the Sable e o Azul the Cerulean falando que tinham vindo buscar o que se tornaria mais um irmão deles. DAÍ A LIGAÇÃO ENTRE OS TSVIETS E O GENESIS, no final, quando o Genesis pega o Weiss do buraco.

Achei a emenda legal também. Por pouco o Genesis não surge pra perturbar a já perturbada vida do Vincent.

 

Depois disso o negócio desandou. Eu desandei. Tseng disse à Cissnei que QUERIA OS DOIS VIVOS. Ele disse que a armada da Shinra já tinha saído e que era para os Turks encontrarem eles antes porque ELE TINHA 88 CARTAS PARA ENTREGAR PARA O EXPERIMENTO FUGITIVO.

Ele estava com todas as cartas da Aerith para entregar a ele, cara... Tseng, mesmo gostando da Aerith também. Isso é honra.

Mas porque o Reno e o Rude são lerdos nos helicópteros, não viram o caminhão no qual o Cloud e o Zack viajavam, nem viram quando eles desceram na encosta de uma montanha. Zack colocou o Cloud sentado e saiu, e o Cloud acordou e esticou a mão... ;;

Daí eu achei uma crueldade infinita dos desenvolvedores fazerem o Zack lutar, ou melhor, você lutar usando ele, óbvio. Vocês, a menos que tenham jogado (ou jogado algo parecido), não sabem a sensação que dá você saber que não vai dar e mesmo assim lutar até a exaustão, eu estava literalmente soluçando de tanto chorar porque sabia que não ia dar, e mais ainda porque o DMT (a roleta de nomes e memórias que me ajudava com poderes durante as lutas) ESTAVA SE APAGANDO. Ele estava perdendo as memórias... Eu não consegui nem usar meus itens e recarregar minha vida depois de um tempo, e quando fui acertado pra "morrer" entrou outro filme, onde três soldados o cercavam e ele tinha que golpear os três, mas ele não conseguia nem erguer a espada...

Então todos sabem o que ocorreu, eles o fuzilaram. A última memória do DMT é a Aerith, com ela dizendo "Helloooo", como quando ela tinha acordado ele na igreja.

Daí aparece o Cloud se arrastando até ali... E o Zack diz a ele: "Você é o meu legado vivo. Meus sonhos e minha honra são seus" ou algo assim, e dá a Buster Sword pra ele.

Eu chorei mais e mais com o grito do Cloud, e com o abraço que o Zack dá nele...

E depois, há uma cena que, mesmo eu, no fandom, não havia visto. O Angeal, a alma dele, vem buscar a alma do Zack no momento em que ele parte.

Tem a Aerith sentindo a morte do Zack também, de longe... E ela estava vestindo rosa, como numa das lembranças do DMT quando ele diz que eles deveriam fazer uma promessa pra toda vez que se encontrassem, por exemplo, que ela deveria usar sempre rosa quando se vissem.

E daí o Zack pergunta "Você diria que eu me tornei um herói?"

Eu disse tanto "SIM" que eu nem sei mais. Depois vem a trilha sonora e mata você um pouco mais (eu continuei chorando graças à música da Aerith, obrigada senhores desenvolvedores)...

No finzinho há a cena de início de FFVII, só que com gráficos melhores, a Aerith na LOVELESS Avenue e o Cloud dizendo "Eu sou Cloud, 1st Class SOLDIER" em cima do trem, que me fez chorar mais.

Sim, eu começo a chorar e não paro, por isso esse jogo ultrapassou Skyward Sword. Eu pensava que eu ia chorar só no finzinho, quando o Cloud falava com ele, mas não, o jogo me pegou mais cedo de jeito. Eu fiquei acho que o final inteiro soluçando, meu Inglês está realmente muito bom porque eu entendi as falas (escritas) mesmo nesse estado, hahahaha.

 

Agora sem ser a narração, mais objetivamente, tl;dr: achei o jogo sensacional, mas um pouco curto. Dava pra ter "enrolado" mais e posto mais história, tem bastante personagem, poxa. E fiquei com alguns summons sem aparecer e só com 60% de completo de alguns personagens... Mas acho que dá pra continuar porque, plus, apareceu a tela de save depois do fim! Então eu salvei noutro slot, pra preservar o primeiro pra qualquer infortúnio. Fiz loading no slot novo que estava escrito GAME CLEARED (um milagre!) e comecei nele pra ver o que dá. Comecei no very hard agora, vou ver se não apagaram meu progresso.

Bem, o que mais... Gostei infinitamente das cenas e história do Sephiroth, deve ter dado pra notar.

Gostei muito do esquema de jogabilidade, até das câmeras, depois que se pega o jeito. Adoro tird-person, gosto de ver o personagem, ainda mais quando ele é uma graça como o Zack.

Amei a história, curti conhecer o Genesis e o Angeal, que me foi uma surpresa, já que não falam muito dele. Gostei pacas dele, ah... O Zack chorou quando o bicho desapareceu (ou o Lazard, não me recordo bem), mas eu quase chorei junto com ele, porque a carinha dele chorando mata nosso coração à facadas.

Curti pacas os trechos na fura em que tive que atirar com um rifle, hahahaha. Teve isso também. E da trilha sonora no violão durante as viagens, muito boa.

A trilha sonora desse game é ótima, como do FFVII também.

 

É isso. Vou deixar alguns prints aqui, quando eu consegui apertar o botão no meio do olho aguado, hahahahaha.

Genesis teve uma visão da deusa do conto (eu interpreto assim).

ULUS10336_00021.jpg

ULUS10336_00022.jpg
Aqui é ele deixando o Cloud numa encosta. Cloud levantou a mão e reagiu, tipo "Não me deixe, não vai"...

ULUS10336_00026.jpg

Aqui é o Zack se preparando para enfrentar todos os soldados da Shinra. SEUS PALERMAS, ELE ENFRENTOU MIL SOLDADOS NUMA MISSÃO, ISSO AÍ NÃO SERIA NADA SE AQUELE HOJO NÃO TIVESSE FEITO MERDA NO CORPO DO ZACK. Uf, desabafei.

ULUS10336_00028.jpg

ULUS10336_00030.jpg

ULUS10336_00031.jpg

Aqui é a cena final, mas eu printei o Cloud, porque aquela cena do Zack caído... Eu tentei tirar um print, saiu tremido, eu não apertei de novo porque todo mundo printa aquela cena.

A coisinha fofa. ;;

É de cortar o coração demais.

ULUS10336_00034.jpg

ULUS10336_00035.jpg

 O print que tirei do Zack foi dele sorrindo...

ULUS10336_00036.jpg

 E esse aqui é o final, final mesmo, depois dos créditos.

 

ULUS10336_00037.jpg

ULUS10336_00038.jpg

ULUS10336_00039.jpg

 

CHEGUEI NO FINAL DISSO, CÁSPITA. EU FINALMENTE SEI DA HISTÓRIA.

Estou tão feliz e triste ao mesmo tempo.

 

"Embrace your dreams... and whatever happens, protect your honor as SOLDIER."


Crisis Core FFVII | 6

por Laura SaintCroix, em 28.03.16

Bonjour!

É o 6, mas não fiz muito hoje, por enquanto. Estava fazendo missões, não sei se vou conseguir acabar as missões...

Estou com 50% concluído.

Zack se encontrou com um anjo que parecia o Angeal, mas era uma cópia dele, que na verdade era o Lazard (o diretor, lembram? Ele ficou "do bem" depois de se transformar num Angeal de cabelo branco). O que indica que o Angeal talvez também degradasse assim como o Genesis.

 

Aliás, Genesis parou o Zack no meio do caminho de fuga (depois que ele e o Cloud foram ajudados pela omissão da Cissnei, nunca felei dela, mas é uma guria legalzinha que curte o Zack)... Onde eu estava? Ah, Genesis, bem, ele parou o Zack no meio do caminho pra roubar o cabelo dele, hahahaha, mas não deu certo, uma das cópias do Genesis, já de cabelo branco, comeu o cabelo do Zack (Zack ficou estarrecido hahahaha) e deu ruim, ele virou um monstro.

 

Agora eu estou no subterrâneo de Banora, que foi incendiada, e estou numa lagoa bem sinistra, cheia de cristais de lifestream. Tinha monstros também, mas o Zack matou todos porque ele é um menino mau.

 

O mais importante é que, enquanto o Lazard está olhando pelo Cloud lá fora, eu recolhi de baús muitas materias da "deusa". São vermelhas, eu não sabia o que era, mas eram para colocar num altar e abrir um portal. Há três ou quatro lápides com os atos de LOVELESS que o Genesis venera, até que curti.

Genesis é um coitado, era um rapaz bom também, mas o desespero da degradação acabou com ele. Essas malditas experiências... Não sei se vai dar pra salvar ele, de algum modo.

 

Bom, fui para outro lado, oposto ao do portal que eu abri com as materias da deusa, porque tenho certeza que ali é o final do final. Acabei encontrando um Bahamut aprisionado (não tenho certeza se o nome é Cerberus ou Bahamut), e tinha que encontrar um monte de chaves para abrir e chegar até ele. Eu consegui e vou enfrentá-lo.

 

God, eu não sei como vai ser, sinto que é o final e estou com medo.

 

Na imagem abaixo, eles fugindo; Cloud vestido com a roupinha de SOLDIER que o Zack encontrou na mansão. Ele o vestiu porque o uniforme da infantaria estava cheio de mako. Ele quis que ele se recuperasse logo da intoxicação...

Mas pra isso tem que pegar a chave do doutor caído no chão, hahaha. Eu demorei pra sacar.

 

ULUS10336_00019.jpg

 


Crisis Core FFVII | 5.1

por Laura SaintCroix, em 27.03.16

Boa noite!

Quantos feels, Sephiroth já se trancafiou na Shinra Manor, também já saiu, já incendiou tudo... É tão triste.

Todo mundo fala da luta de FFVII e o quanto o final é épico, mas ninguém fala das cenas de Crisis Core, que cara, que coisa linda. A dublagem em Inglês do jogo também é magnífica, inspira muito sentimento. Sephiroth falando com a "Mãe" dele, ohhhh... Embora ao mesmo tempo é um tanto... apaixonante.

MAS o que eu mais gostei, ou melhor, gostei de outra maneira, sem ser pela emoção "triste" da coisa, foi o Cloud entrando, que impressionante! Ele, de quem menos se esperava, ele, que nem acreditar em si mesmo acreditava de início, fez tudo aquilo!

É por isso que amo o Cloud, ele é tão corajoso e tão humano! Vocês precisam jogar essa bagaça só por essa cena.

 

Agora quanto à luta com o Sephiroth: EU NÃO ESTAVA PRONTA PRA ENFRENTAR ELE NESSE JOGO TAMBÉM. Ninguém me avisou que eu ia ter que lutar contra ele. Ainda bem que o Zack estava preparado, porque eu não.

 

Depois disso, feels, feels everywhere. Hojo é um puta de um folgado. Cloud e Zack estão perfeitamente vivos, você não tinha que pegar ninguém pra fazer experiência, cacete.

Como eu detesto esse Hojo, hahahaha. Ele arruinou a vida de 50% dos personagens, senão mais.

 

Zack carregou o Cloud para fora da Shinra Manor, e eu estou agora parada num save para fazer missões antes que, sei lá, não dê mais... Eu estou com um medinho. Eu quero passar mais tempo com o Zack, mas já sei do final, então... Eu estou com medo até de não ver a Aerith.

 

Viram, gente, é assim que se faz um jogo, você quer dar final nele, mas não quer que ele acabe. ;;

 

Mas sério, o grito que o Cloud dá na hora de atacar o Sephiroth... Minha pobreza de adjetivos só me faz falar "impressionante". (Mas juro que no meu livro eu sou melhor, eu juro)

 

Eu consegui salvar a mãe do garotinho das chamas. Lembram-se da sexta maravilha? Era essa. A sétima é a própria Nibelheim, segundo o garoto, que foi reconstruída pela Shinra provavelmente porque estavam sem capital pra tacar outra bomba no lugar.

 

ULUS10336_00011.jpg

ULUS10336_00013.jpg

ULUS10336_00014.jpg

 

Aquele fotógrafo em Nibelheim sobreviveu e tirou fotos do Sephiroth.

 

ULUS10336_00009.jpg

Com variações de pose.

elmo-xablau-gif-fire-1621934-sephiroth.jpg

(Brincadeiras à parte, é que eu acho esse elmo muito gracinha, hahahahahaha)

 

Tudo falta de explicar pro Sephiroth quem ele era desde o início. Talvez ele só tivesse matado o Hojo ao invés de um monte de gente.

 

E olhando esses prints de novo... Os olhos do Zack são tão lindos.

Ah, especificando uma coisa aleatória: eu gosto muito da amizade do Cloud e do Zack, mas eu não sou "shipper" deles, okay? Nada contra, só dizendo mesmo pra evitar a fadiga, hahahaha. Embora goste de fanarts quando o traço é adequado ou está "fofo" de alguma forma, há exceções. Eu acho que a amizade é algo lindo, não precisa ser mais que isso porque isso em si é puramente amor, é genuíno.

Acho que dá pra entender.

Não confiem em mim no meu blog digitando, eu juro que digito melhor no meu livro, eu juro...